quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Japão 8 - Tokyo

No nosso 25° dia de Japão e 7° dia em Tokyo saímos às 8h da manhã com destino a Nikko, é um passeio de dia inteiro já que demora 2:30h de carro.



Logo na chegada paramos para conhecer a Shinkyo (Ponte Sagrada) que fica na entrada dos templos e santuários que visitaremos.


Este é o Torii do templo da ponte que antes só se chegava atravessando esta antiga  ponte, hoje pode-se chegar de carro pela ponte moderna.


Vista de Shinkyo ou Ponte Sagrada

Depois fomos para o complexo onde fica o mais importante templo de Nikko , o Rinnoji Temple fundado por Shodo Shonin monge budista que introduziu o budismo na região no Séc VIII, o templo principal do complexo o Sanbutsu-doh está sendo restaurado e ficará pronto em 2020, portanto está todo fechado, até da pra entrar, mas com bastante cheiro de tinta, pois estão laqueando todas as madeiras.




Em seguida fomos visitar o complexo de templos e santuários do Nikko, onde se encontra o Toshogu Shrine e o mausoléu do Tokugawa Ieyasu fundador do importante Tokugawa Shogunato que governou o Japão por 250 anos até 1868. Hoje patrimônio da UNESCO.






Passando essa entrada acima que é composta pelo Torii de pedra com a pagode  Tõshõ-gu de 5 andares a esquerda. O primeiro pagode doado em 1650 pegou fogo e foi reconstruído em 1818. Cada andar representa um elemento, terra, água, fogo, vento e éter ou vazio. No interior do pagode tem o shinbashira um pilar central de madeira pendurado por correntes para proteção em caso de terremoto. A frente, acima das escadas tem o Nitenmon  Gate.

Passando esse portão tem um conjunto de construções com entalhes em madeira. 



Cada uma dessas construções, os estábulos, os depósitos, etc. tem detalhes bonitos.



O incrível é que vamos num crescente de entalhes conforme vamos adentrando esse complexo...




Mais a frente tem um outro Torii e um outro portão, o Yomeimon Gate restaurando em 2007 é uma beleza.



Acho que as fotos não conseguem mostrar toda a beleza e trabalho deste portão, mas são tantas fotos com tantos detalhes que é muito difícil escolher qual poderia traduzir melhor o que nossos olhos podem ver.




Impressionante a gente não sabe pra onde olhar, deste ponto em diante é uma profusão de entalhes por todo lado!


Tōzai Kairō and Kugurimon Claustro coberto do Santuário (lateral do Yomeimon Gate) 

Passando esse portão chegamos a porta do santuário principal do complexo Tokugawa Ieyasu Shrine.




Outro trabalho impressionante!




Atrás deste último portão há o hall do santuário onde não podermos tirar fotos e subindo atrás do templo na montanha fica o tumba de Ieyasu.



Daqui fomos a um outro templo ao lado o Futarasan Jinja que é mais simples. 



Depois continuamos andando até o Taiyuin Maosoleum do Tokugawa Iemitsu de 1653.




O local é bonito também, com menos construções, mas vale a pena conhecer.



Dentro do templo não pode tirar foto, consegui tirar só do teto, as lanternas de bronze também impressionam.



Almoçamos num restaurante de Lamen ali pertinho. Estava muito bom.





Depois fomos ver o lago Chuzenji no sopé do vulcão sagrado Monte Nantai-san  (montanha corpo de homem) também chamado de Futarasan que fica  no Parque Nacional de Nikko.




Já no caminho tinha muita neve, estava muuuuuuito frio! Aos pés do monte de frente pro lago fica o Futarasan Shrine um dos locais mais antigos de culto desta região.





O lago fica a 1.269m de altitude, já o Monte Nantai é um estratovulcão ou seja seu formato é de cone formado pelo magma extravasado! Eu nunca tinha ouvido falar em estratovulcão.... Vivendo e aprendendo!
Ele tem 2.486m de altura e pode ser visto a mais de 100km da costa no Pacífico em dias limpos.





Ali perto ainda no lago Chuzenji fomos visitar as Cataratas ou Quedas de Kegon com 97m de altura, uma das três mais importantes do Japão.

Voltamos pra Tokyo e a noite fomos ao restaurante Koju outro 3 estrelas do Michelin, o nome do restaurante é do amigo e ceramista Koju Nishioka, mas  sinceramente eu não estou mais aguentando esses Kaisekis (se é que existe o plural de Kaiseki) quando são sempre iguais… Agora entendi a dica da concierge do Hotel Ritz Carlton de Kyoto: mais de 2 kaiseki não dá! Até dá quando os Chefes inovam. 




O Chef Toru Okuda realmente abusou das sopas e peixe branco de tudo quando foi jeito. A única coisa diferente foi que junto com o sempre igual e mesmo Amadai (peixe branco que os restaurantes adoram e que até fiquei com vontade de falar que eu era alérgica porque não aguentava mais comer sempre o mesmo!) veio o que achamos que era um tipo de tofu meio diferente. 





Qual não foi a surpresa quando o chef explicou que era Shira-ko ou Fugu Milt….. Bom lá fui eu ver na internet o que era e pra minha surpresa é o semem do peixe Fugu macho óbvio…. Uma iguaria cara segundo o chef…. Bom não é lá essas coisas e olha que praticamente gosto de tudo! Os últimos 2 pratos mais peixe branco cozido nem comi…. 
No restaurante Kashiwaya em Osaka num dos pratos veio algo fatiado que agora lembrando parecia ser Shira-ko, eu até perguntei pra esposa do Chef que estava nos atendendo o que era e ela respondia peixe, mas quando eu perguntava qual ela dizia parte especial... Bom se era, era divino!
Esse achei meio sem gosto...


Na volta paramos na rua ao lado do hotel pra tirar fotos com as Sakuras iluminadas. Lindo demais!

Hoje dia 7 de abril nosso oitavo dia em Tokyo, saímos pra ver mais Sakuras!




No caminho para o Parque Rikugien Garden, paramos em um cemitério quando estávamos passando de carro e vimos as maravilhosas sakuras! Primeira guia mais jovem que pegamos na viagem toda! Nossa entendeu a gente muito melhor! Quando falei pro Fernando no carro: olha que lindo! Ela já virou e perguntou, querem parar pra tirar fotos? Eu que estava acostumada que mesmo quando pedia algo nunca podia, nem acreditei!
Paramos e ela explicou um monte de coisas do cemitérios, dos túmulos, tirou fotos também, muito simpática! 


As fotos ficaram lindas!

No carro nossa guia perguntou se tínhamos reparado nos moços de terno preto pelas ruas nos dias anteriores, eu pra falar a verdade não tinha, mas perguntei o que era, ela explicou que nesses dias era a época que todos os novos funcionários começaram nas empresas novas. Aí fiquei com uma dúvida, mas tem que ser terno preto? Não pode ser azul marinho, grafite.... Ela disse não, é a regra... Aí ela me explicou: Aqui é assim como uma grama, se uma desponta por crescer mais que as outras a gente aperta ela pra baixo, pra ficar igual...
Nossa, complicado né? É perigoso se sobressair...... Hummmm achei triste isso... 

Mas vamos lá, chegamos ao Rikugien Gardem, um jardim ao estilo japonês muito bonito construído em 1702 pelo 5° Tokugawa Shogun, Rikugien significa literalmente "o jardim dos 6 poemas" é considerado o jardim mais bonito de Tokyo!



Não teremos tempo de conhecer todo o jardim, mesmo porque viemos pra ver especificamente a famosa  Shidare Sakura, ou weeping cherry, que é o símbolo deste parque.



Ela tem 15m de altura e 20m de largura! Ela não está totalmente cheia de flores, deveríamos ter vindo uns 2 dias antes, muitas já caíram... Mas é difícil acertar tudo...



Mesmo assim estava muito lindo!

Saímos para o Kanda Shrine, mas novamente no caminho vimos um outro cemitério! Claro que paramos, desta vez nem precisei falar nada, foi olhar e a guia já falou, vamos parar aqui que vcs vão gostar!



E olha que só tínhamos visto essa entrada de fora!
Bom vcs não imaginam dentro que beleza.... 



Nem precisa dizer que a gente está feliz né?



Além dessas sakuras maravilhosas, estava vazio!

Depois fomos ao Kanda Myojin Shrine, esse complexo data de 1603, é um templo shintoísta  com 108 deidades.



Em seguida almoçamos num restaurante de tempurá muito bom na descida da escada da lateral do templo, indicação de um executivo que estava passando! A guia acertou em perguntar pra ele. Chama-se Myiabi, vale muito a pena!






Daqui fomos visitar o Castelo do período Edo do Shogunato Tokugawa que restaram só os muros e hoje é um parque, entramos pelo Ote-mon Gate! 



Um impressionante contraste entre o antigo e o novo...
Vejam essa lateral de seus muros com sua espessura impressionante...



E apesar de não ter mais o castelo, tem seus jardins onde a tardinha é super comum ver o pessoal correndo. Ah! Aqui nossa guia nos fala uma coisa muuuuito louca dessa cultura aqui. Não é nada educado as pessoas ultrapassarem quando estão correndo nas ruas ou parques! É isso mesmo! Segundo ela uma maratonista a paisana resolveu correr por esses parque e claro ultrapassou várias pessoas, foi criticada até no jornal! KKKK



Suas Sakuras....



Pra lavar a alma de qualquer cansaço, tristeza, desamor....



E apesar das Sakuras serem a sensação do momento, tem muitas outras flores pra se admirar!



Como se não bastasse resolvemos passar no maravilhoso Chidorigafuchi na lateral de fora do muro do Castelo pra ver mais Sakuras, agora 100% abertas!




São 700m nesse caminho de pedestres que passa pelo lado direito do fosso em baixo das sakuras, onde podemos vivenciar o Hanami (contemplar das flores),     dessas 260 sakuras plantadas na década de 50. 


O caminho fica lotado o dia todo e tem mão e contra mão!



Essa fila da direita é pra pegar o barquinho, eu até gostaria de ter feito esse passeio, mas esperar 3 horas na fila, impossível!





Bom temos milhares de fotos, vcs podem imaginar! Foi difícil escolher quais colocar aqui... 
Depois fomos pra Ginza passear!




Andamos por esses quarteirões do bairro considerado o mais fashion, luxuoso e gastronômico de Tokyo. Compramos uns brinquedos pros netos...



Voltamos para nosso hotel e logo em seguida saímos pra jantar no restaurante  internacional Jean Georges do Chef Vongerichten que existe em varias cidades do mundo e agora em São Paulo também!





O local é charmoso, o atendimento ótimo e a comida excelente! Só agora percebi como estava com saudades da comida ocidental! Vale a pena conhecer!

Amanhã é praticamente nosso último dia em Tokyo com carro e guia então vamos estudar com cuidado o que falta pra fazer. Cedo vamos ao famoso mercado de peixe que ficou faltando ver.




Bom o mercado de peixe foi uma decepção, agora só abre às 10h então não da mais pra pegar o tal leilão do atum que é mais cedo. Disseram que fecharam pra turistas pois atrapalhava muito. Então agora quando abrem pra gente é só na hora da limpeza, tudo sendo lavado, cheio de água, o pessoal com cara amarrada pra gente e só caixas vazias… O pouco que vi e queria tirar foto eles reclamaram…. Deu pra tirar essas que vcs viram acima... O diferente foi esse marisco pornô! Fez o maior sucesso! 
Mas o mercado de Kanazawa foi muito melhor! 
O que aconselho aqui é vir almoçar num desses "restaurantes"do mercado, fiquei com muita vontade mas era cedo e não dava pra esperar...  

Então fomos ver o Museu do Samurai em Shinjuku, é bem pequeno, fica numa casa, mas é interessante.




Depois fomos ao Edo museu indicado pela guia, onde tem a historia de Tokyo… 


É longe e tem uma maquete bem grande e salas com a simulação de bairros da época Edo, coisas do folclore,  eu achei fraco… Se fosse perto acho até que valia uma passada, mas levamos quase uma hora pra chegar...



Aqui perto tem a arena de sumô e portanto da pra ver eles andando pela rua e nossa guia nos convidou a comer o Chankonabe que é a comida que os lutadores comem depois do treino pra ganharem peso… KKKKK 
Bem era bem o que eu queria.... Proposta ideal pra qualquer mulher!



Bom como o Fernando já tinha reclamado que eu não estava gostando de nada neste dia, o que era verdade, resolvi não falar nada e lá fomos nós! O restaurante era bem, bem simples, entra por um bar e sobe-se ao segundo andar,  segundo a guia é de um lutador aposentado de sumô, tinham 3 opções de prato e eu tentei entender o que tinha de especial na comida, eu pedi o soba e vi que era igual aos outros, com diferença do caldo ser mais saboroso, perguntando ela disse que a comida deles é igual só que eles misturam no caldo carne, frango e peixe…. Estava gostoso, mas o lugar não tem charme nenhum como vcs podem ver na foto acima.



De lá passamos num lugar tradicional de venda de papeis, uma loja grande com todo tipo de papel que vc pode imaginar. Interessante tb.
O Fernando resolveu pedir pra guia achar um sake que tínhamos tomado no restaurante Jean Georges, um Kukurio fresco edição limitada, foi um parto de ligações da guia para a concierge do nosso hotel até conseguirmos… Essa guia de hoje foi a mais descolada até agora, nos explicou coisas incríveis sobre a cultura aqui, coisas que já tínhamos percebido nas guias anteriores e até coisas que nunca poderíamos imaginar! Por exemplo, ela perguntou se a gente tinha reparado que os japoneses nunca falam não? Aí ela fez o som que ouvi n vezes das minhas guias anteriores, depois disse um vou ver, depois um não entendi... KKKK exatamente o que fazem quando é um não! 
Que também nunca falam que não sabem.... Bom eu morria de rir no carro.... Vivenciei tudo isso aqui!

No fim conseguimos comprar depois de muito custo, 2 garrafas tendo que comprar mais 2 de algum outro sake mais comum se não o cara não vendia…




Acabamos voltando pro hotel mais cedo, num fim de tarde lindo, pois tinhamos que comprar mais uma mala de tanta bugiganga que compramos pros netos! Bugiganga mesmo! 



A loja de departamento é do lado do hotel então fomos comprar lá, as ruas estavam encantadoras!




Voltamos e pela primeira vez tomamos um chá no hotel com direito a docinhos lindos da estação com morangos e Sakuras! E ainda tivemos sorte de pegar esse fim de tarde com um lindo pôr do sol! 



Com isso fiquei animada pra ver algum dos parque a noite com as luzes acesas das sakuras! 
Escolhi o Chidorigafushi, foi duro convencer o marido mais uma vez, mas prometi que não chegaríamos atrasados no restaurante! Me organizei pedi pro concierge escrever certo pro taxi que queríamos só dar uma parada no local da foto mais conhecida, andaríamos uns 15m e pronto, o taxi ficaria esperando!
Bom a confusão já começou que o caminho vai de um ponto a outro, eu queria parar o taxi na avenida que eu não sabia o nome mas que eu imaginei ser fácil pois tem um templo com uma estátua bem na frente... Claro que ninguém sabia onde era no hotel pra explicar pro taxista e paramos do lado oposto....  Bom aqui vai o nome do templo que ninguém sabiam qual era... É o Yasukuni Shrine onde bem na frente da estátua do Omura Masujiro, fica exatamente na frente desse ponto onde se tira a foto clássica abaixo! 


Bom claro que parando no lado oposto precisei sair correndo que nem uma louca pra chegar neste ponto e voltar no tempo prometido pro Fernando! Valeu cada minuto!



Indescritível! 



Pra vcs imaginarem a foto não consegue registrar 5% do que é! Ainda mais tiradas no celular....



Camadas e camadas de Sakuras e com lua!



Sabe aquelas noites perfeitas, com temperatura perfeita, foi assim!



Claro que um mundo de gente, mas tb quem pode ficar sem curtir essa beleza toda? É pra sair e ficar aqui mesmo, até as luzes apagarem porque é lindo demais!




Bom, o taxi sumiu e chegamos 30m atrasados no restaurante Seamon Guinza



Mas foram muito gentis e nos deixaram entrar, foi ótimo porque conseguimos pedir a la carte! Portanto nos deliciamos com toro, uni, unagui, o divino Torigai (heart clam)  e muitos outros maravilhosos! 



Voltamos a pé pro hotel, a parte de Ginza é bem movimentada!



Primeira vez que passeamos a noite a pé, muito gostoso!




Chuo o bairro onde fica nosso hotel é um bairro onde 80% das pessoas só trabalham aqui, não dormem portanto fica bem vazio a noite, mas como aqui não tem problema nenhum de assalto viemos super tranquilos!

No dia seguinte finalmente estávamos sem guia! Uma maravilha! Era nosso ultimo dia em Tokyo então tinha algumas coisas que ainda não tínhamos visto e foi ótimo porque pegamos algumas dicas com o mesmo gerente do hotel que é brasileiro e fomos primeiro numa dessas casas de chá da moda onde tem bichos, a gente pode escolher coelhos, gatos, enfim varios bichos então eu queria uma de corujas que parecia ser as mais legais.




Bom fomos até lá e adivinhem? Tinha que ter marcado hora! Estavam com todas as visitas do dia preenchidas…. Mas na verdade não gostei muito do esquema, fiquei com dó dos animais. Neste que fui é tipo um apartamento pequeno que tem as corujas e a dona serve um chá...
Pedi pra entrar só pra tirar fotos, mas não pude entrar no local propriamente dito… Esse local fica em Harajuku então saímos a pé pela Omotesando Ave. 



Passamos pela loucura da Takeshita Street com suas famosas Harajuko Girls!





Aqui é uma visita obrigatória pra entender parte da juventude! 



O que tem de coisas diferentes e loucas, dá pra se divertir!

Descemos ela e compramos algumas guloseimas que gostamos aqui, tipo Mochi (bolinho de arroz glutinoso moído em pasta) de todo sabor, Kit Cat de chá verde e Karintô (palito de massa de farinha coberto com um tipo de açúcar mascavo).




Saímos pela direita numa ruela pra voltar a avenida principal, no caminho encontramos um gostoso restaurante chamado Jardin de Luseine e acabamos almoçando.




Voltamos andando para a  Omotesando Ave onde o gerente tinha marcado pra gente as ruas que valiam a pena entrarmos que eram a Cat Stret e a Aveda.



Descobrimos essa loja de caramelos chamada Number Sugar, onde os tais caramelos são uma coisa inesquecível! Não posso nem lembrar! Vai ser meu pedido se alguém for pro Japão!!!



Depois fomos andando até onde tem as lojas de grife, Chanel, Prada, Isley Miyake, Yoji Yamamoto, entre outros. É uma moda bem diferente do que estamos acostumados, mas para um passeio foi ótimo!



Voltamos para o hotel, ainda andamos um pouco na avenida da frente pois as flores dos canteiros estavam lindas!



Arrumamos malas e quando descemos nessa inesquecível recepção encontramos uma amiga de SP a Lu.



Tomamos um chá e trocamos figurinhas sobre o Japão... Ah! Terceira pessoa reclamando das guias! Falamos sobre as maravilhosas pérolas da loja Mikimoto! Visita imperdível! O prédio é algo tb!



Adivinhem o que consegui fazer ainda antes da janta? Levar o marido em mais um local de sakuras iluminadas! Megurogawa ou rio Meguro! Nem sei como! E este foi um parto pra chegar! Longe e inundando de carros parados até chegar no local! Nosso taxi nos deixou algumas quadras antes e chegamos ao local a pé!




Dá pra ter uma ideia pelo vídeo né? Posso reclamar de muitas coisas que não vi no Japão, mas sakuras vi todas de Tokyo! kkkkk



Só daqui tiramos 150 fotos... Como escolher quais colocar? 





Uma mais linda que outra....





Depois fomos ao famoso restaurante de carnes Beefsteak em Ginza. Escolhemos este restaurante pra fechar com chave de ouro nossa estadia em Tokyo!



Foi um tepan de kobe incrível! Saímos a pé do restaurante e adivinhem? 


Sakuras até o último minuto! Olha só o que achamos! 



Aproveitando até o último minuto... Sinceramente acho que se estivessemos sem guia todo o tempo aqui no Japão teríamos aproveitado muuuuuito mais! Esse dia sozinhos foi o máximo! 

No dia seguinte pegamos nosso vôo pra Seul na Korea do Sul, no avião ainda conhecemos uma outra bebida japonesa de umeshu bem interessante! 



Um pouquinho do próximo post pra vcs. Korea!