domingo, 6 de agosto de 2017

Japão - Yamashiro Onsen


Saímos de Kyoto de trem com destino a estação Kaga Onsen (Kaga significa ameixeira) esta região tem quatro cidades com fontes de águas termais, nosso hotel fica em Yamashiro Onsen fica na montanha Yakushiama e chama-se Beniya Mukayu, é da rede Relais Châteaux. 



Mukayu significa "não existência" ou "em estado natural", a construção do arquiteto Kiyoshi Sei Takeyama  segue a linha do filósofo chinês Zhuangzi que viveu há 2.300 anos atrás, os quartos seguem a mesma filosofia e privilegiam a aparência clean e cheia de luz.



O hotel segue o estilo ryokan com tatami, cozinha kaiseki, cerimônia do chá, yoga, massagens e o melhor você tem, além dos banhos termais no SPA do hotel, um onsen privado na varanda do quarto!




As águas termais de Yamashiro Onsen são consideradas excelentes, comprovadamente ajuda nas dores reumatológicas, diabetes, hipertensão, problemas de pele, etc. 



O atendimento do hotel é ótimo! Aqui ficamos de Kimono o tempo todo fornecido pelo hotel, viemos para cá somente com uma mala de mão, nossas malas foram direto de Kyoto para Tokyo. 
O restaurante tb é excelente, cada dia um menu diferente e especial. 



Marcamos massagem para às 21h no SPA, tudo caprichado também, foi bom mas um pouco fraca pra nosso gosto… Vamos tentar o Shiatsu amanhã pra ver se elas conseguem soltar nossas tenções…..



O Fernando tinha pedido para a agência no Brasil incluir 2 templos da região na nossa programação  que nem tinham cogitado a respeito, então no dia seguinte saímos ás 10h para conhecer oprimeiro deles, o Eiheiji Temple fundado em 1244 por Eihei Dogen que introduziu o Soto Zen da China no Japão. 




O templo fica nas montanhas nos arredores da cidade Fukui. Chegamos em 40m e o templo nos surpreendeu muito!




Diferente de Kyoto este templo é ativo, é um monastério que abriga 200 monges e monjas!  Eihei-ji  significa Templo da Paz Eterna e o nome não podia ser mais exato!




Dentro do templo é muito bonito também!



Olhem essa outra parte!



No meio de uma floresta de cedros antigos alguns com mais de 100m de altura! A forração é de um musgo verdinho que torna o lugar mágico. Na área também tem carvalhos que ficam amarelos e vermelhos no outono! Deve ser lindo!



A área do monastério é de 330.000 metros quadrados  e comporta 70 edifícios. Os convidados só podem visitar alguns deles. 



Ainda tivemos a sorte de pegar uma cerimonia em andamento com os monges recitando sutras! Lindo! Pena que não pode tirar fotos....





Uma beleza de templo!

Imperdível!


De lá fomos para o outro templo escolhido pelo Fernando chamado Natadera Iwayama. Logo na entrada tem um templo, mas é mais novo e sem grandes interesses...


Kondou Kauden 


Seguindo na trilha da montanha vamos vendo como o templo Natadera realmente é antigo,   foi fundado há 1.300 anos pelo monge Taichõ.



Ele tinha uma filosofia própria onde acreditava que a natureza e o homem eram ambos sagrados e deviam viver em perfeita harmonia. Segundo ele Natadera é o lugar onde deus mora e ensina sua sabedoria através da natureza.



O templo fica numa montanha rochosa vulcânica com muitas cavernas onde tem estátuas de Buda.



Na principal delas está o Daihi-kaku ( Hall da compaixão)




A frente desta caverna foi construído o templo de madeira, no fundo dentro da caverna tem um altar com um oratório de Kannon a Deusa da Compaixão, que só é aberto nas cerimonias. A gente pode contornar por trás dele vendo a gruta!



Na montanha a frente do templo principal fica o observatório Chinjudo com o guardião Hakusan-myori Daigongen. Lembrando que neste inicio de primavera as muitas árvores  e arbustos ainda não brotaram dando este ar seco ao local, como já alertei nos posts anteriores, na minha opinião o outono é a melhor época pra conhecer o Japão.



O caminho para o Observatório é por cima de uma ponte, contornando a montanha pelo alto. Saímos do templo pra esquerda, andamos pela ponte, passamos por um pagode até chegar do outro lado no Chinjudo. Muito bonito!



Na saída ainda tem um outro pequeno templo Xintoísta que faz parte do complexo.




Depois desta visita bem interessante, como ainda era cedo, nossa guia perguntou se queríamos passar em Fukui para conhecer o pequeno Maruoka Castle, na verdade é uma pequena torre de observação da área toda onde ficam as construções cercadas pelo fosso. 

Depois pesquisando na internet descobri que é considerado o castelo mais antigo do país!  Construído em 1576 restou apenas a torre central (dojon) mesmo! Incrível, teria visto com outros olhos se era informação tivesse sido dada na hora da visita, mas nem a guia tinha estado neste local antes...






Nosso motorista que era da região ficou brincando com a gente nessa maquete do castelo onde tinha que achar 6 ninjas, não sei quantas galinhas e cachorros! Animadíssimo ele!
Atualmente existem 400 cerejeiras ao redor desta torre plantadas no aniversario de 400 anos do castelo, imagino o que deve ser quando estão floridas…. As lanternas com propagandas das empresas que ajudaram no restauro do local.

De lá fomos comer noodles num restaurante indicado pelo motorista, estava muito bom, eles mesmo moem o trigo e fazem a massa.

Depois passamos em 2 lojas de porcelanas Kutani da região, como tenho 2 queria comprar mais um, mas atualmente tudo é muito comercial, nem sabiam do que eu estava falando, quando mostrei  fotos do que eu gostaria de ver que peguei na internet como Kutani Antique, disseram que era coisa de museu...  



O dono da loja nos mostrou uma vitrine pequena com algumas peças mais trabalhadas e antigas e disse que não existe mais nada aqui assim do jeito que eu queria... Perguntei o preço e tudo na faixa de 4 mil dólares....  Fiquei pensando nas coisas lidas que vemos nos leilões no Brasil, coisas lindas e muitas vezes com preço muito bom. 

Voltamos para nosso hotel,  fomos direto para o Onsen, jantamos mais um menu maravilhoso, fizemos o shiatsu e caímos no sono…



No dia seguinte saímos às 9hs, já com malas para Kanasawa. O trajeto como todos os outros até aqui não é muito atraente, sempre o mesmo tipo de construções bem simples como conjuntos habitacionais. 
A gente não vê miséria aqui, mas uma enorme classe média baixa com uma qualidade de vida que privilegia atender as necessidades bem básicas. Carros bem simples e antigos... Muito diferente de nós, como explicou nossa guia, o supérfluo que queiramos ou não deixa nossa vida mais animada, não é opção aqui.
Nem num aniversário se come algo que está acima do preço, mesmo que seja algo que vc goste muito! Nossa guia por exemplo, adora unagui (enguia) comentou que fazia 16 anos que não comia pois tinha subido muito de preço, perguntei quanto custava, ela falou US$20 o kilo... 
Perguntei, mas nem no seu aniversário pra comemorar? Não, sai do custo mensal... 
A vida é difícil e o povo achei tristonho... 





Kanazawa fica a uma hora de carro do Onsen, super perto. Esses nossos dias no Onsen foram muito bons! Vi o templo mais lindo do Japão com certeza! Pra quem tiver por aqui aconselho!
Uma amiga que encontrei em Tokyo não gostou do Onsen que ficou, portanto escolham com bastante critério!
Lembrando que o Onsen público não aceita pessoas com tattos, e a parte feminina é separada da masculina...

Não tivemos oportunidade de conhecer um Onsen a céu aberto, mas acho que deve ser muito gostoso! Pra quem se animar aconselho dar uma olhada em Yufuin, achei muito bonito!



Post seguinte Kanazawa!

Nenhum comentário:

Postar um comentário